http://i1.wp.com/ataba.com.br/wp-content/uploads/2016/08/Raiji-Takano-e-Joao-Francisco-Quem-Le-A-Taba-e1471018560506.jpg?w=1050

Quem lê? Raiji Takano

De traços físicos a trejeitos, sabemos que muita coisa passa de pai para filho. Mas em nossa conversa com Raiji Takano, ficou bem claro que o hábito e gosto pela leitura também vem sendo passado dessa maneira em sua família.

Raiji, que é gerente de projetos digitais, foi o primeiro pai a assinar o Clube de Leitores A Taba, quando ainda estava na versão teste, há dois anos. Ele acompanha e aproveita as leituras junto com o filho, João Francisco, que está com 8 anos e recebe os livros da categoria autônomo.

Confira nossa conversa e as dicas do Raiji para quem quer incentivar os filhos a ler sempre mais e melhor.

 

A Taba: Raiji, quando você era criança, costumava ler ou ouvir histórias de livros? Quem fazia os livros chegarem até você?

Raiji: Lia muito, tinha o hábito de sempre ter algo para leitura disponível em casa. Meu pai sempre leu (hábito que mantém até hoje) e o exemplo funcionou comigo.

 

A Taba: E hoje é você quem lê com seu filho. Vocês sempre lêem juntos ou também tem livros que um dos dois descobre e apresenta ao outro?

Raiji: Lemos juntos antes de dormir, lemos separados durante o dia, trocamos ideias sobre os livros e compartilhamos experiências sobre as leituras.

 

A Taba: Como e onde são esses momentos de leitura?

Raiji: À tarde, em casa, o João Francisco aproveita para ler algumas coisas de forma autônoma, no pequeno espaço de leitura que montamos ou no quarto dele. À noite, antes de dormir, num pequeno ritual em que cada um lê um trecho. É um breve momento de ouvir a voz do outro e ser ouvido pelo outro e, por mais que seja na leitura de um livro, é muito valioso na minha opinião.

 

A Taba: E por quê vocês lêem?

Raiji: Além da parte óbvia de melhorar o conhecimento da língua, de ser um hábito saudável para a formação da criança, penso que a leitura tem nos proporcionado um conhecimento muito rico e bacana de culturas que seriam possíveis somente com a vivência.

 

A Taba: O que vocês acham mais interessante em livros infantis e juvenis?

Raiji: Os livros podem ser interessantes por diferentes motivos. Alguns nos fazem pensar sobre as situações da vida, outros nos divertem, nos emocionam, nos trazem conhecimentos sobre outras culturas, estimulam a imaginação e a criatividade… Muitas vezes, a história vira brincadeira. As crianças “incorporam” os personagens. Isso é o máximo!

 

A Taba: Qual foi o livro que mais gostaram de ler juntos? Por quê?

Raiji: Os Pestes foi bastante legal por conta das várias situações que um personagem provocava com o outro e que sempre rendiam risadas e conversas sobre o que nós poderíamos fazer com nós mesmos.

 

A Taba: Vocês são assinantes do Clube de Leitores A Taba. Como isso influencia nas experiências de leitura de vocês?

Raiji: A oportunidade de ter livros novos em casa todo mês, escolhidos por um grupo de profissionais que façam uma curadoria, garantindo a qualidade dos livros, é fantástica para nós. Sempre que chega um novo pacote, o João Francisco “confere” todo o material, o Mapa de Exploração é sempre utilizado por ele.

 

A Taba: Qual dica você pode dar para quem quer incentivar as crianças na leitura?

Raiji: Acho que não tem muito mistério… Claro que é importante colocar a criança em contato com os livros, frequentando livrarias e bibliotecas, dando livros de presente e incentivando a pegar emprestado. Mas, mais do que isso, é preciso dar o exemplo, ser leitor, mostrar prazer em estar em contato com os livros, em ler. E reservar um tempo pra ler junto!

*****

“Quem lê?” é o espaço de entrevistas da Taba com leitores. Adultos e crianças compartilham aqui suas experiências leitoras e dicas de leitura. Participe dessa conversa deixando seus comentários!

 




Participe da conversa!