http://i2.wp.com/ataba.com.br/wp-content/uploads/2016/06/Fabian-e-Eduardo-Medeiros-leitores-A-Taba.jpg?w=1050

Quem lê? Fabiana Medeiros

Fabiana Oliveira de Medeiros é mãe do Eduardo, que tem quase 2 anos de idade. Eles moram em Cerro Largo (RS) e não há livraria na cidade. A ideia de comprar livros online, sem manusear, não agradava muito a Fabiana, mesmo que tivesse indicações de literatura infantil em blogs como A cigarra e a formiga.

Ela conta que não costumava ouvir histórias nem ter livros quando criança, mas tenta fazer diferente com Eduardo, pois acredita que a leitura pode criar vínculos fortes entre pais e filhos. “Acho que isso é o que mais me atrai e me incentiva a ler pra ele”, comenta.

Confira nossa conversa com a Fabiana, que entrou para o Clube de Leitores A Taba quando começou a acompanhar nossas publicações e viu muitas portas se abrirem para ampliar seu conhecimento em literatura infantil, sua sensibilidade e para fortalecer os laços entre a família nos momentos de leitura.

A Taba: Fabiana, quando você começou a se interessar por livros? 
Fabiana: Quando era criança, infelizmente meus pais não liam pra mim, não se comprava livros. Já na adolescência, tomava emprestados livros na biblioteca pública da cidade onde morava. Foi aí que comecei a me interessar mais pela leitura.

A Taba: E hoje, por que você lê? 
Fabiana: Leio principalmente para me inspirar e ler para o meu filho, mas também pelo gosto, para retomar a leveza que perdemos com os compromissos da vida adulta, com a rotina, e para me informar sobre assuntos que me interessam como maternidade, infância e psicologia, por exemplo.

A Taba: Para você, o que é mais interessante nos livros infantis e juvenis?

Fabiana: O poder de despertar para a linguagem, para a imaginação, para descobrir o mundo, as possibilidades, a escrita… Já percebi, lendo para o meu filho, que as histórias podem transmitir muito conhecimento, explicar muita coisa. Muitos sentimentos vistos nas histórias passam a fazer sentido para as crianças, que se identificam e passam a ser mais destemidas – e tudo de uma forma muito mais fácil, como não saberíamos explicar apenas conversando com elas.

A Taba: Tem algum título que se destaca na biblioteca do Eduardo? Mesmo sendo pequeno, ele demonstra um interesse mais especial por alguns livros?

Fabiana: Recebi do “Leia para uma criança” (Itaú Social) antes mesmo do nascimento do Eduardo, o livro “O mundo inteiro”, que guardei com carinho. As rimas lindas e a sequência de ilustrações (que contam uma história até mais do que o texto) o fascinam, ele sempre pede para ler esse livro. Foi com esse título que percebi o quanto a gente evolui lendo para as crianças. A cada dia eu percebia uma coisa nova no livro, que se encaixava, explicava o texto, fazia sentido e dava seguimento à ilustração anterior. Acho que é também o meu preferido atualmente.

Outros que todos curtem juntos aqui em casa são “Onde está o elefante“, “Mas papai“, ” Tatu-balão“, “O que tem dentro da sua fralda“, “Apenas um é diferente“, “Cadê o pintinho“, “Aperte Aqui“, “Gato pra cá, rato pra lá”, “Tá tudo bem neném” e “Brasil for Children” – vários deles adquiridos via Clube de Leitores A Taba.

A Taba: Como e onde são os momentos de leitura de vocês?

Fabiana: Nosso momento de leitura é, quase sempre, à noite, muitas vezes antes de dormir. Coloquei todos os livros numa caixa de sapato bem ao alcance do Eduardo e peço a ele que escolha um ou dois. Sentamos juntinhos no sofá e começamos a nossa leitura. Quando quer retardar o sono, fica escolhendo e trazendo um atrás do outro! Mas também lemos em outros momentos do dia, sempre que podemos ou que ele demonstra interesse, vai lá, pega um livro e traz pra mim.

 

A Taba: Você faz parte de Clube de Leitores A Taba. Por que escolheu ser assinante?

Fabiana: Escolhi ser assinante para termos acesso a livros infantis com referencial, escolhido por especialistas, que também são mães. A facilidade também foi um atrativo. Li muito antes de assinar e escolhi A Taba porque considerei como diferencial a atenção dada aos assinantes e também porque, como uma mãe leitora sem experiência em literatura infantil, o Mapa de Exploração oferecido pela A Taba poderia me auxiliar no processo de leitura com meu filho.

A Taba: E o que mais gosta no Clube de Leitores A Taba?

Fabiana: O que mais gosto é a expectativa de, a cada mês, receber em casa um livro novo, diferente e escolhido pra ele por alguém que entende do assunto muito mais do que eu, que sou técnica de laboratório de química.

Adoramos ler as canções do livro que recebemos em maio, Brasil for Children. Nunca teria atentado para um livro destes e é justamente por isso que estou satisfeita com a assinatura que fizemos pra ele na A Taba. Somos surpreendidos positivamente. Mas também – e principalmente – gosto do acesso que passei a ter a diversas outras informações sobre literatura infantil, acompanhando o blog e o Facebook da Taba. Através dessas fontes tive acesso a informações preciosas como vídeos e links para reportagens, indicações literárias e entrevistas sobre literatura infantil.

A Taba: Pode dar um exemplo de conteúdo que te ajudou?

Fabiana: Através da Taba conheci o Portal Trilhas, onde pude fazer um curso à distância e receber um material completo para trabalhar leitura, escrita e oralidade, com jogos, indicações literárias, roteiros e atividades para várias obras de diferentes tipos. Poderei usar esse material com meu filho no futuro, ou num projeto que está por aqui “rondando” a minha cabeça…

A Taba tem me incentivado a ler mais e melhor, a compartilhar experiências leitoras (minhas, pelo “Desafio A Taba 12 livros em 1 ano” e do Eduardo, ao ler e escrever sobre o livro do mês no blog ou  trocando e-mail com a equipe A Taba).

Ter acesso à Taba me fez vislumbrar um mundo de possibilidades leitoras e a pensar em um projeto de leitura compartilhada para as crianças do meu bairro, que ainda quero executar.

A Taba:  Tem alguma experiência curiosa com livros e leitura?

Fabiana: Uma colega de trabalho contou-me que seu filho estava com dificuldade no desfralde, pedia para ir ao banheiro para fazer xixi, mas não para fazer cocô. Então sugeri e emprestei o livro “O que tem dentro da minha fralda” e emprestei pra ela durante um final de semana. Na segunda-feira ela me devolveu o livro e disse que o livrinho ajudou muito ele no processo, porque passou a pedir para ir ao banheiro também para fazer cocô. Pareceu-me que ela estava super admirada a respeito de como um livro pôde fazer todo aquele efeito no desfralde do filho. E eu, que ainda não iniciei o desfralde do Eduardo, tive a certeza que fiz uma ótima aquisição e que ele será útil pra gente também!

A Taba: Qual dica você pode dar para quem quer incentivar as crianças na leitura?

Fabiana: Se eu pudesse dar uma dica, diria que o fundamental é ler pra elas desde bem pequenas, começar com livros de banho, de pano, de sons (livro objeto, para começar brincando). Depois passar aos de histórias mesmo, com ilustrações bonitas e atrativas, com vocabulário diferente, com rimas, com abas… Ter um momento só de leitura, com rotina, ter pelo menos um horário e local para leitura com elas.

 

*****

“Quem lê?” é o espaço de entrevistas da Taba com leitores. Adultos e crianças compartilham aqui suas experiências leitoras e dicas de leitura. Participe dessa conversa deixando seus comentários!




Participe da conversa!