A promessa do girino

A promessa do girino

Escrito por: Jeanne Willis

Ilustrado por: Tony Ross

Editora: Ática

Ano de lançamento: 2004

Resenha

As aguadas singelas que ilustram a narrativa não anunciam a grandeza do acontecimento que os personagens viverão. As frases redondas e musicais também não. Mas é assim, nesse vaivém melódico do texto que uma história improvável toma forma. O olhar do sapo na última página é o olhar do leitor que não acredita no que é dito nas últimas frases do livro. Tony Ross, ilustrador mais premiado do Reino Unido, aclamado por leitores em todo o mundo, aparece aqui com uma intervenção artística das mais nobres: divide o mundo dos personagens de maneira singular e cria um cenário alegre e de sonhos, que espanta e emociona, concomitantemente. Jeanne divide seu tempo entre a literatura, roteiros para TV e publicidade e ainda tem poucos títulos traduzidos para o português, mas aos poucos vai chegando por aqui. Aviso (da autora) muito especial e carinhoso aos professores: não se trata de um livro de metamorfose; trata-se de uma forma incrivelmente poética de ver a natureza que nos cerca.

Trecho do livro

“O urso percebeu que a situação era grave. Então ele se ajoelhou e tirou a porquinha da água. — Muito obrigada – disse ela, emocionada. – Você salvou a minha vida. Mas agora pense um pouco em si mesmo e guarde. Alguma coisa para o longo inverno. O verão tinha terminado, e o outono estava quase no fim. E o urso não tinha guardado nada para o inverno. Ele colheu a última maçã. Não havia mais comida.” P. 74 e 75