Ponte para Terabítia

Autor(a): Katherine Paterson

Ilustrador: Carlos Brito

Tradutor: Ana Maria Machado

Editora: Salamandra

Ano de lançamento: 2006

 

Resenha:

Terabítia levou centenas de crianças e jovens ao cinema nas duas adaptações que foram feitas. È difícil ficar imune ao chamamento que ouvimos de Jess e Leslie para conhecer esse reino mágico que construíram com poucos recursos mas infinitos sonhos. Katherine é autora experiente, detentora dos mais importantes prêmios literários do mundo e que demorou a ser reconhecida no Brasil. Preocupada em falar da passagem da infância para a vida adulta, seus temas abordam essa fase dolorida e por vezes traumática. Quatro ambientes compõem a narrativa e dão ao leitor elementos para avaliar e relativizar o que os aproxima e o que os repele: a casa de Jess, a casa de Leslie, a escola onde estudam e Terabítia. As duas crianças vivem em plena circulação nesses lugares tão diferentes e terão de passar por experiências e confrontos com pessoas e ideias muito distintas. Afinal, isso resulta no mundo como o temos e saber compreendê-lo faz parte da vida adulta. Sonho e realidade servidos densa e envolventemente.

 

Trecho do livro:

“Fazia frio em Terabítia em novembro. Eles não tinham coragem de acender uma fogueira no castelo, embora às vezes fizessem um foguinho do lado de fora e se encolhessem junto dele. Durante algum tempo, Leslie chegou a ter dois sacos de dormir na fortaleza, mas no começo de dezembro o pai notou a ausência deles em casa, e ela teve que levá-los de volta. Na verdade, foi Jess quem insistiu para que ela os levasse. Não exatamente porque tivesse medo dos Burkes. Os pais de Leslie eram moços, com dentes bem brancos e muito cabelo – todos os dois.” (p. 60)

 

Para quem?

exp sozin

Para quê?

emocionar rir dificeis



Participe da conversa!
%d blogueiros gostam disto: