A palavra feia de Alberto

A palavra feia de Alberto

Escrito por: Audrey Wood

Editora: Ática

Ano de lançamento: 2000

Resenha

Essa porção de símbolos e letras já apareceu em várias narrativas significando um bom e sonoro palavrão. Impossível de ser lida, a sequência de símbolos dá ao leitor a tarefa de lhe atribuir como significado aquilo que lhe parecer mais agressivo, picante, severo ou, até mesmo, cruel. Mas, para o menino Alberto, é mais divertido e perigoso falar um palavrão, já que ele tem corpo, cor e até personalidade própria. A dupla Audrey e Don Wood, que já tratou em suas obras de tantos temas, sempre com sua irreverência particular, traz aos leitores o palavrão, e nosso herói terá de experimentar várias estratégias para se livrar dele. Adorável leitura, descontraída e pensada especialmente para pais e filhos, “A palavra feia de Alberto” é cheia de palavras bonitas e personagens cativantes. E, como já diziam os sábios orientais, a palavra alimenta. Tanto é verdade que um certo jardineiro fará um bolo com um punhado delas…

 

Trecho do livro:

 “No banheiro, a mãe de Alberto lhe entregou um pedaço de sabão.
— As pessoas não dizem palavras feias – falou. – Esfregue bem para que ela saia de sua boca e nunca mais a use novamente.
Enquanto Alberto esfregava a língua, a palavra feia sentou-se no ombro do garoto e ficou rindo maldosamente.”

Obra sem numeração de páginas.