Olívia tem dois papais

Olívia tem dois papais

Autor(a): Márcia Leite

Editora: Companhia das Letrinhas

Ano de lançamento: 2010

 

Resenha:

 O desenho do porta-retratos da família de Olívia, ilustrado por Taline Schubach e que abre o interessante livro de Márcia Leite, é a porta de entrada para a história da menina, que tem dois papais, como já explícito no título.
A menina Olívia tem imenso poder de usar as palavras para convencer a cada um dos papais – Luís e Raul – de tudo o que quer; basta dizer “entediada”, e papai Raul para o que estiver fazendo para brincar com a filha; com o papai Luís, a palavra de ordem é “desfalecer”. Colocadas entre aspas, essas – e outras palavras – fazem parte do vocabulário da menina e estarão presentes ao longo de toda a história, para demarcar os sentimentos de Olívia e sua relação com seus pais.
As ilustrações – que aparecem pontualmente no livro – deixam evidentes os assuntos adoção e filhos de casais do mesmo sexo de maneira delicada e cheia de cores vivas.
Os diálogos também estabelecem com o leitor um “jogo” franco, sem, no entanto, abrir mão da sutileza e da precisão na construção da história, características essenciais aos livros “encantadores”, como diria Olívia.

Trecho do livro:

 “ – O Lucas é muito bobo, papai, ele gosta de me provocar, dizendo que eu não tenho mãe.
– E você fica triste? – o pai perguntou preocupado.
– Claro que eu fico. Por que ele também não provoca a Isabela e o Tadeu dizendo que eles não têm pai? Isso não é justo! – ela exclamou, contrariada.
– É mesmo uma injustiça, queridinha. E o que você responde para ele?
– Eu falo assim: ‘“Eu não tenho mãe, mas tenho dois pais só pra mim’”.
– Essa é uma boa resposta, meu bem. Mas sabe, não é todo mundo que acha bom ter dois pais ou duas mães. Cada família é de um jeito…. E o Lucas só conhece um tipo de família – o pai explicou”.

Para quem?