O mágico de Oz

O mágico de Oz

Escrito por: L. Frank Baum
Ilustrado por: Marcelo Pacheco
Editora: Ática
Ano de lançamento: 2011

Resenha

Dorothy vivia numa terra cinza e árida no Kansas, EUA, na companhia de um casal de tios idosos, para quem era mais que a alegria, [a vida que eles tinham por perto]. Esse estado de conformidade é alterado por uma tempestade assustadora, da qual se forma um tufão que transporta a menina e seu cachorro Totó para outro plano, diferente de tudo o que já tinha visto. Por um feliz acaso, a casa de Dorothy pousa em cima de uma bruxa malvada, que deixa os habitantes do lugar, o povo Munchkin, muito agradecidos, pois em decorrência da morte da bruxa ficam livres do seu jugo. Tanta novidade e deslumbramento não faz a garota deixar de lamentar a distância que tomou dos tios, e determinada, vai tentar sair de Oz e retornar para o Kansas. Para acompanhá-la nessa empreitada, ela passa a contar com três companheiros muito estranhos, o Espantalho, o Homem de Lata e o Leão, três figuras carentes, respectivamente, de cérebro, coração e coragem. Assim, cada um deles com um objetivo firme, saem em busca da Cidade das Esmeraldas, onde vive o poderoso Mágico de Oz, o único ser que poderá ajudá-los. A obra de L. Frank Baum, O mágico de Oz, é mais conhecida pelas adaptações cinematográficas do que pela leitura do livro. No entanto, logo que foi editada pela primeira vez nos Estados Unidos, tornou-se um estrondoso sucesso. Por lá, a história da pequena Dorothy inaugurou a literatura de fantasia em estilo moderno, bem no começo do revolucionário século XX.

Trecho do livro

“Mas a velhinha aproximou-se de Dorothy, inclinou-se um pouco e disse com voz suave:
— Seja bem-vinda, nobre feiticeira, à terra dos Munchkins. Estamos muito agradecidos a você por ter matado a Bruxa Malvada do Leste e por ter libertado este povo do seu jugo.”

P. 15

avatar

escrito por

Somos um grupo independente de especialistas em literatura infantil e juvenil, professores, pais, bibliotecários e contadores de histórias com um único objetivo: formar uma aldeia, um coletivo de pessoas que vive e experimenta leituras.

gostou? compartilhe!

comente pelo facebook

deixe seu comentário