O desafio de uma biblioteca básica para leitores em formação

Imagine se a humanidade precisasse decidir quais livros deveria guardar em uma espécie de arca ou baú, para que seu conteúdo não se perdesse e as novas gerações pudessem desfrutar desse tesouro? Que obras preciosas escolheríamos para presentear crianças e jovens em seu processo de formação como leitores? Como procuraríamos garantir que pudessem se aproximar de nossa vasta tradição literária?

O desafio de uma seleção como essa é, em certa medida, enfrentado por diferentes mediadores de leitura (pais e professores, por exemplo), quando têm diante de si os inúmeros livros frequentemente lançados no mercado editorial, alimentando nosso apelo pela novidade constante. Como compor as chamadas “listas” para leitura nas escolas durante o ano letivo? Que livros comprar para nossos filhos e filhas? Quais obras são fundamentais para a formação de uma bagagem cultural e afetiva de crianças e jovens? Privilegiamos apenas os chamados “clássicos universais” ou abrimos também espaço para os livros que fazem parte da cultura contemporânea? Consideramos somente o gosto dos adultos ou atentamos para as preferências dos pequenos leitores?

Essas são perguntas que nos intrigam e para as quais não temos uma resposta definitiva. Concordamos apenas com a tirinha do Macanudo que abre esse post: a infância é um tempo de leituras marcantes. E às crianças e aos jovens deveríamos oferecer sempre o melhor de nosso mundo.

Por isso, nós – do Leitura Em Rede – pensamos em propor a construção coletiva de nosso baú de tesouros. Na sua opinião, qual ou quais livros deveriam constituir a biblioteca básica para leitores em formação? Que obras nenhuma criança ou jovem deveria deixar de ler?

Está lançado o desafio. Participe!

Em breve, publicaremos a lista com os livros mais citados nesse post. Aguardem!

 

 

 

 

avatar

escrito por

Denise Guilherme é Mestre em Educação, formadora de professores e consultora na área de projetos de leitura. Desde cedo, apaixonada por palavras ditas e escritas. Descobriu nos livros um caminho para entender a si mesma e aos outros. E ficou tão encantada com o que viu que decidiu compartilhar com o mundo.

gostou? compartilhe!

comente pelo facebook
22 Comentários
  1. Débora Martins10 fev, 2014Responder
  2. Débora Martins10 fev, 2014Responder
  3. Claudine May08 fev, 2014Responder
  4. Claudine May08 fev, 2014Responder
  5. Claudine May08 fev, 2014Responder
  6. A Taba07 fev, 2014Responder

deixe seu comentário