O Ateneu

O Ateneu

Escrito por: Raul Pompéia

Editora: Ateliê Editorial

Ano de lançamento: 1999

Resenha

 As primeiras palavras de O Ateneu, romance de Raul Pompéia, são as do pai dirigidas ao herói: “Vais encontrar o mundo…”. Assim, o pequeno Sérgio rememora como tomou distância da idade da inocência para viver precocemente os prazeres e as vilanias de um mundo mais afeito aos adultos. Portanto, o que está anunciado nas palavras do pai será comprovado na leitura, de modo que o internato em que Sérgio ingressa quando criança, comandado pelo temível Aristarco, configura-se numa espécie de amostra em miniatura do mundo maior em que os homens disputam comandos e sobrevivência.
As brigas de poder, a corrupção e a traição se desenrolam no interior do internato para rapazes, onde os mais fortes são opressores e os mais fracos são hostilizados sem pudor nem piedade. Mas há também momentos de intenso lirismo, de descobertas poéticas, de autênticas amizades. Situado entre um pessimismo desalentador e de um otimismo à custa de radicalismo, o enredo que Pompéia nos oferece é construído de forma tão sensível, e exemplar do ponto de vista formal, que O Ateneu se consolidou como um dos romances mais bem escritos em língua portuguesa.

Trecho do livro:

 “ ‘A minha vingança!’” repetiu-me ainda o Franco. ‘Para o sangue, sangue’, acrescentou com o risinho seco. ‘Amanhã rirei da corja!… Trouxe-te aqui para que alguém soubesse que eu me vingo!’ Ao falar mostrava-me o lenço que enxugara o sangue do golpe à testa.”

P. 115

avatar

escrito por

Somos um grupo independente de especialistas em literatura infantil e juvenil, professores, pais, bibliotecários e contadores de histórias com um único objetivo: formar uma aldeia, um coletivo de pessoas que vive e experimenta leituras.

gostou? compartilhe!

comente pelo facebook

deixe seu comentário