http://i1.wp.com/ataba.com.br/wp-content/uploads/2016/09/a-few-blocks-illustration-cybele-young-001.jpg?w=1050

Logo ali

logo-aliLivro: Logo ali

Autora: Cibèle Young

Editora: Paz e Terra
Resenha

É hora de ir para a escola, mas o pequeno Frederico não parece disposto a seguir em frente. Para conseguir levá-lo junto consigo, sua irmã, Violeta, precisará usar muito a imaginação e criar enredos fantásticos a partir de pequenos objetos que surgem no percurso.

É esse o mote do livro Logo ali. Nele, o jogo de faz de conta está em todos os detalhes: desde as histórias inventadas pelas crianças, até as ilustrações que se modificam a cada página, agregando cores e novos elementos que misturam ficção e realidade.

E enquanto acompanha os pequenos em seu caminho, o leitor se torna cúmplice da brincadeira e descobre que, muitas vezes, a imaginação e a vontade de estar junto podem levar aos lugares e aventuras mais incríveis.

(Resenha elaborada pela equipe da Taba especialmente para o Mapa de Exploração que acompanha o kit do Clube de Leitores)

Como foi a nossa leitura?

Levei esse livro para ler no hospital e não tive muito sucesso. Talvez por ter imagens pequenas, com muitos detalhes e que exigem um olhar mais detalhado. Isso é bem restrito na leitura no hospital. Leio em alas com várias crianças, e por questões de segurança, saúde e higienização não posso deixar que todas as crianças toquem os livros, folheiem e observem de pertinho as imagens e o texto.
O fato das cores vivas só aparecerem quando as crianças da história aceitam entrar na aventura de ir para escola, faz com que as imagens em preto e branco não chamassem a atenção dos pequenos naquele momento.
E nisso tudo, acredito que o dia que contei a história não estava para histórias que exigiam muita atenção. Li para crianças de 8, 9 e 12 anos. Eles se distraíram em algumas partes da história. Então percebi que essa não foi uma história interessante para aquele grupo, naquele momento.
Aquela frase que o livro escolhe o leitor é verdade. Esse livro não me escolheu aquele dia.
Mas a ideia de ter a companhia do irmão para vencer os desafios, usar a imaginação para transformar uma folha em um barco nos dá força para querer continuar.
P.S. Essa ilustradora faz trabalhos incríveis. Confira essa animação produzida por ela:




Participe da conversa!