http://i1.wp.com/ataba.com.br/wp-content/uploads/2016/05/INESCAPA.jpg?w=1050

Inês

INESCAPALivro: Inês

Autor: Roger Mello

Ilustradora: Mariana Massarani

Editora: Companhia das Letrinhas

 

Resenha

Nesse livro, o premiado autor Roger Mello nos conta de maneira sensível e poética a história de Inês de Castro, cuja vida foi narrada por grandes poetas portugueses do passado, como Camões e Bocage.

Por meio da voz de Beatriz, filha de Inês e Pedro, o autor traz vida o romance proibido entre a jovem ama de uma princesa e o filho do poderoso rei de Portugal. E é essa menina observadora, que com seu olhar curioso vai revelando ao leitor as múltiplas faces de seu pai e a vida paralela que ele construiu com sua mãe, apesar de todas as adversidades impostas pelas regras da monarquia da época.

As ilustrações de Mariana Massarani fazem um uso interessante as cores e os símbolos, oferecendo ao leitor uma experiência estético-visual que amplia o sentido do texto escrito.

(Resenha produzida pela equipe A Taba, especialmente para o exclusivo Mapa de Exploração da obra.)

Como foi a nossa leitura?

Quando recebi o livro Inês e vi quem eram os autores, tive certeza que seria um livro de alto nível.

O autor Roger Mello é daqui de Brasília, já estudei um pouco sobre sua história e seus livros. Então fiquei pensando que este livro eu nunca vi nas listas de publicações desse autor. Fui logo ver a ficha catalográfica. Este é um livro atualíssimo! Foi publicado em 2015.

Comecei a leitura mas não entendi direito aqueles versos, então fiquei curiosa e fui olhar a contra capa do livro. Lembrei na mesma hora da minha mãe quando diz “Agora Inês é morta”.

Nunca entendi essa expressão. Então recomecei a leitura.

As personagens principais parecem com as personagens de Cantarim de cantará, que também foi ilustrado por Mariana Massarani. Elas parecem voar … “curva de brisa, alga vermelha, briga de passarinho.”

Fiquei apaixonada pela Beatriz. Com sua forma de narrar que parece estar cantando.

Os livros desse mês, não pude ler para muitas crianças. Minha irmã mais nova ficou quase 15 dias internada no hospital, então, adivinha quem foram meus leitores e ouvintes? Minha mãe e minha irmã mais nova Lívia!

– Eca, beijar a mão da moça morta… imagina mãe? Eca! – eu falava

Minha mãe também fazia cara de nojinho. Minha irmã só sorria, mas ao final comentou:

– Que triste…

Mas para mim, tudo começou a fazer sentido. Minha mãe falava de uma tal Inês que nem ela conhecia. Isso tudo tem a ver com nossa cultura, a cultura da colonização brasileira e que infelizmente é pouco divulgada…

Esta história e as curiosidades do Almanaque do Mapa de Exploração de Leitura dA Taba também me lembraram de um livro que ganhei do meu pai chamado “Expressões com história” dos autores Alice Vieira e Ricardo Cabral. Nessa história o menino Pedro começa a ficar curioso quando ouve algumas expressões como “eureka”, “tirar o pai da forca”, “dizer coisas com sete pedras na mão” ou “fazer ouvidos de mercador”.

É um livro escrito em português de Portugal, mas que muito tem a ver com expressões que também usamos aqui no Brasil.

E por aí, vocês também conhecem algumas expressões históricas que um dia ouviram de alguém?

images-7




Participe da conversa!

Minha amiga Juçara também comentou sobre o livro:
"MUito boa a a história do amor impossível de Inês. Bastante criativa a ideia de mudar o nome de Pedro, conforme o momento e a situação do personagem na história. Pedro o Desobediente, o Esperto, o Confuso, o Mentiroso, etc…..
Também explicando porque usamos a expressão: Inês é morta, quando queremos dar uma coisa por acabada. Gostei muito!"