A fada que tinha ideias

A fada que tinha ideias

Escrito por: Fernanda Lopes de Almeida

Editora: Ática

Ano de lançamento: 2006

Resenha

 A fada que tinha ideias é uma história de fadas dividida em 13 capítulos, com pequenos contos quase autônomos, que mantêm entre si um fio condutor: a rebeldia de Clara Luz, que, diferentemente das outras fadinhas, não quer aprender mágicas como aquelas descritas no Livro das Fadas. Clara Luz quer inventar suas próprias magias e encantos mirabolantes, sem ceder às regras e à autoritária Rainha das Fadas. E sua varinha é tão rebelde quanto ela! O caráter questionador deste livro está justamente na atitude revolucionária de Clara Luz, que contraria todos os clichês dos contos de fadas, transgredindo e inovando o mundo maravilhoso. “Quando alguém inventa alguma coisa o mundo anda”, diz a fadinha questionadora e criativa, enquanto transforma o bule de café em passarinho, dá vida às nuvens, colore a chuva ou faz o amigo Relampinho sair de dentro do bolo e assustar a todos. A ilustração despretensiosa de Edu dá colorido ao texto sem diminuí-lo, já que o ponto forte do livro são os textos e a mensagem que deles se depreende: é possível, sim, transformar o cotidiano em algo mais interessante e divertido, basta não se acomodar com o que está dado como certo.

Trecho do livro:

 “Clara Luz, a Gota e o Relampinho foram brincar no jardim. A Fada-Mãe ficou espanando a poeirinha de prata dos móveis e pensando naquele assunto da bruxa:
— Agora, a Rainha vai descobrir tudo, inclusive que Clara Luz nunca passou da Lição I do Livro. Não sei o que vou dizer quando ela me chamar, para dar explicações.”
P. 26