https://i2.wp.com/ataba.com.br/wp-content/uploads/2015/10/08-assinatura_taba_agosto15.png?fit=413%2C354

Entre leitores e leituras: papais na literatura

Durante o mês de agosto, os assinantes do Clube de Leitores A Taba receberam livros que abordavam de maneira sensível e bem humorada a relação entre pais e filhos.

Confira como foi a leitura de cada um deles:

Meu pai é grande, é forte, mas...

Livro: Meu pai é grande, é forte, mas…

Autor: Coralie Saudo

Ilustrador: Kris Di Giacomo

Editora: Girassol

Meu papai é grande, é forte, mas…

Parece uma história simples, demos algumas risadas com as birras do papai desta história, mas as crianças me apresentaram outras interpretações.

“Não são somente as crianças que têm medo. Os adultos também podem ter medo.”

“Ser pai é uma coisa muito séria.”

“Eu também só consigo dormir com a luz do abajur acesa.”

Nessa breve história, o filho cuida do pai como um pai cuidaria de um filho. E essa inversão nos faz perceber como adultos e crianças podem ser bastante parecidos…

 

Papai TatuadoLivro: Papai TatuadoAutor: Daniel Nesquens

Ilustrador: Sergio Mora

Editora: WMF Martins Fontes

Uma ótima estratégia para despertar o interesse das pessoas em ler é você mesmo começar a ler. O seu exemplo pode ser um grande incentivo. E quando o livro tem uma capa muito legal, todo mundo quer saber que o que é que você está lendo.

“Papai tatuado” foi sucesso entre crianças, pré adolescentes e adultos que encontrei durante o mês de setembro.

As ilustrações são fantásticas e o texto não dá vontade de parar de ler.

Algumas crianças da escola em que trabalho começaram a ler em um dia e precisaram parar para almoçar. Na outra semana me pediram o livro de novo “Podemos ler o livro do Pim Tiger?”.

E os professores? “Esse livro você nunca me mostrou. Quero ler um livro de aventura assim para meu filho!”

Realmente, são muitas aventuras. Esse pai é um herói mesmo. Imagino que seja o sonho de todo pai.

A desvantagem é que em muitos momentos o papai que dá nome ao livro está ausente.

Quanto às tatuagens, penso que elas, geralmente, devem ter um significado, uma história e um sentido importante para quem é tatuado – assim como aquelas que cobrem o corpo do protagonista desse conto. Então comecei a pensar e observar a quantidade de pessoas que conheço e que trabalham comigo que têm alguma tatuagem. Poucas não têm. Eu não tenho, mas meu pai disse que se um dia eu fizer uma tatuagem, ele vai fazer uma igual nele também!

Livro: Meu pai é um homem-pássaro

Autor: David Almond

Ilustradora: Polly Dunbar

Editora: WMF Martins Fontes

Uma linda história, com emoção e sentimento de ajuda mútua. Se você for só olhar algumas páginas, pode pensar que o livro vai explorar a vida de outros seres, mas o livro vai além.

A família de Lizzie passava por um momento delicado, seu pai não estava bem, parecia que estava com “a doença do ano” – depressão. Nas primeiras ilustrações, o pai de Lizzie está com uma aparência abatida, cabelos desgrenhados, barba por fazer. Parece estar com aquela vontade de não fazer nada por muito tempo.

Até que parece enlouquecer quando se inscreve para o concurso de pássaro humano. A ideia é bem louca mesmo, mas a forma em que Lizzie (uma garotinha que parece não entender muito desses sentimentos de adultos), abraça a causa, compreende seu pai, apoia suas ideias e o traz para a realidade é muito bonita.

A expectativa das crianças que leram e ouviram a história em saber se eles terão sucesso no concurso, é mágica. “Por favor, eles precisam conseguir!”.

E você, já tentou fazer algo bem louco com algum adulto e ele topou? Uma turminha de crianças de 5 anos já experimentou algumas aventuras:

– Eu já sonhei em pular junto com meu pai de um prédio para outro, depois em um trampolim! E tudo dava certo.

– Eu já fiz um bolo de chocolate com minha mãe que nós duas inventamos na hora. E ficou muito gostoso.

– Eu já brinquei na piscina com minha mãe, e imaginamos que estávamos em um furacão de água.

– Eu já inventei um vulcão com minha tia. Deu muito certo no final, e ela também se divertiu muito.

 

E você: O que achou dos títulos enviados? Como foi a leitura com as crianças?

Senta aqui do lado e vem conversar coma gente!




Participe da conversa!

O Luiz Otávio, tem 8 anos. Leu o livro "Meu papai é grande, é forte, mas…" e comentou:
"O livro é legal porque é engraçado e as figuras são coloridas. Acho que todos deveriam ler."

A Juçara também leu o livro "Meu pai é grande, é forte, mas…". Segue o comentário dela. Obrigada Jujuba!

"Muito boa……. Genial a idéia de colocar o pai no lugar da criança com seus medos e suas exigências. A ilustração remete muito bem ao texto.
Muito bom!!!!!!!

Minha amiga Maria que também faz parte da Associação Viva e Deixe Viver leu alguns livros da A Taba, mas como ela não tem facebook, vou colar o comentário dela aqui! Obrigada Maria!

"Abaixo o comentário do Livro meu papai é grande, é forte, mas…
" O livro é maravilhoso, adorei! A história é muito boa e a forma que o autor escreve é fácil de entender. A encadernação e ilustração do livro são muito boas também"
Esse é o comentário da Alice, quando lemos o livro. Eu, meu genro, minha filha adoramos o livro também. Mas acho a crítica da Alice muito valiosa porque ela é a visão de uma rata de livros de 6 anos. Ela já escreveu e ilustrou 2 livros mesmo não estando ainda alfabetizada. É crítica dos livros que eu levo para o hospital pra contar histórias.
Alice Marques Gonçalves – 6 anos, tem contato com o mundo das histórias desde a barriga da mãe pois a avó, eu, Maria Marquis sou contadora de histórias da Associação Viva e Deixe Viver desde antes de Alice nascer.
Maria Marquis Dornelas Batista e-mail:mariamarquis.db@gmail.com

%d blogueiros gostam disto: