Desafio A Taba – 12 livros em 1 ano – Contos de Lugares Distantes

E já estamos no segundo semestre do nosso Desafio!

41qligbJN1L._SX334_BO1,204,203,200_Dessa vez, o livro escolhido para nossa 7ª roda é Contos de Lugares Distantes, do australiano Shaun Tan. Nessa obra, o autor surpreenderá mais uma vez o leitor ao propor uma viagem por  15 contos fantásticos, diferentes de tudo o que você já viu!

O leitor será capturado tanto pelas situações inusitadas dos textos quanto pelas ilustrações fabulosas, muitas vezes surreais. Aliás, as ilustrações são um texto indispensável para a compreensão dos sentidos dos contos desse livro.

É necessário que deixemos o maravilhoso entrar como a família que recebe o minúsculo estudante estrangeiro; os moradores que acolhem o dugongo, espécie de peixe-boi, que apareceu no gramado em frente de uma casa; ou a família que descobre, em meio ao difícil viver, um buraco que dá para uma espécie de jardim de palácio.

E nesses contos de lugares distantes, aos quais somos convidados a conhecer, é preciso  contar com aquilo que não se explica: o conselho certeiro do búfalo do rio, a história inverossímil do vovô, mas que nem a vovó contesta. E ainda ser tocado pela solidariedade dos cães ao companheiro assassinado, a paciência dos gravetos e o destino dos papeizinhos com poemas escritos que foram rasgados ou escondidos.

Uma obra para ter e guardar. Ler e reler muitas e muitas vezes!

Convidamos você a assistir a conversa que tivemos sobre esse livro incrível no dia 04 de agosto.

Clique sobre o vídeo e compartilhe suas impressões com a gente!




Participe da conversa!
A Taba disse:

Fabiana, linda contribuição! Esperamos muito tê-la em uma de nossas rodas, compartilhando suas leituras com essa sensibilidade.
Um beijo

De todos os livros do Desafio até agora, este livro foi o mais fascinante pra mim. Aliás, não sei o que espero com maior expectativa, se assistir o vídeo da roda ou a divulgação do livro do mês seguinte!

As impressões sobre a obra feitas por Daniel Pellizzari e Neil Gaiman (autores que desejo conhecer) na orelha e contracapa do livro, respectivamente, traduzem perfeitamente minhas percepções com essa leitura. A tradução de Érico Gonçalves de Assis (gaúcho de Pelotas – RS) nos parece perfeita, provocando as mesmas emoções e dúvidas que, imagina-se, são provocadas pela obra original.

Penso que as múltiplas interpretações que surgem ao ler cada um dos quinze contos depende, em grande parte, da experiência de vida de cada leitor e do momento que ele está vivendo. As ilustrações, algumas ocupando duas páginas, são fantásticas (exemplo primoroso disso é a última ilustração do conto “Eric”)! O jogo de cores (no conto “História do vovô” a maioria das ilustrações é em preto e branco e somente a última, colorida) os desfechos inesperados (“Brinquedos quebrados”) e as especulações e vazios que restam (“Ressaca”) são fenomenais! Como diz Neil Gaiman na contracapa do livro “Shaun inventa enredos inesquecíveis que, acredite, vão deixar sua vida um pouco mais mágica.”

Todos os contos são especiais, gostei muito de “ Chuva ao longe”, “Eric”, “História do vovô” e País nenhum”, estes três últimos talvez porque são envolvem situações de família. Entretanto, meu conto preferido foi, sem dúvida, “o feriado sem nome”! Desperta emoção, sensibilidade! É de uma magia e encantamento sem igual. Quando li, senti uma sensação incrível de leveza, de identificação. Tudo ali me parecia familiar….. As possibilidades de interpretação me pareceram infinitas, mas acho que esse conto me tocou porque encontrei semelhança com a minha maternidade, um mergulho profundo, do qual não consigo sair (e nem sei se quero, aliás).

Quando decidimos ser mães, é como se dispuséssemos nossas posses de maior estima no chão do quarto: sono, liberdade, lazer, comida quentinha, banho demorado…. Gestar um filho (o "piquenique") é algo que exige preparo, paciência, conexão….até que a maternidade ( a "rena") chega pra valer com o nascimento e leva, definitivamente, num misto de emoções, o seu bem mais precioso. O mais fascinante é que assim como as personagens do conto e apesar da perda de nosso bem mais precioso, ainda assim ficamos felizes e gratos pela experiência, sentindo inclusive uma imensa vontade de vivê-la novamente.

“Que sensação marcante e inominável é esta, que acontece bem no instante do salto: algo que parece tristeza e pesar, uma vontade súbita de ter seu presente de volta, agarrado ao peito, sabendo que certamente nunca o verá de novo. Então você se solta, deixando os músculos relaxarem, os pulmões esvaziarem, e no remanso da saudade permanece uma imagem às margens da memória: a imensa rena no seu telhado, fazendo uma reverência.”

Vou lá assistir o vídeo…

Cheguei agora em casa!

Muito bom!!! Os gravetos parecem revelar mais uma vez nossa invasão à natureza…achei profundo.

Emilia Nunez disse:

Obrigada pela resposta!!!

Emilia Nunez disse:

Gostei muito, muito do livro. "Chuva ao longe" é o meu favorito (difícil escolher!!!). Como foi a experiência de leitura de vocês com as crianças? Qual a idade delas? Anna falou um pouquinho quando citou o "País nenhum" mas queria ouvir mais de como as crianças reagiram! Confesso que ainda não consegui entender como um livro infantil, talvez porque meus filhos ainda sejam muito pequenininhos (o meu maior fez 3 anos agora).

Aguardando a chegada do meu exemplar, encontrei uma pitadinha de provocação: Contos de Lugares Distantes, por Aline Evangelista Martins, na Revista Emília.

http://www.revistaemilia.com.br/mostra.php?id=359#none

Hoje tem oferta relâmpago na Amazon: R$ 19,90.

Hoje tem oferta relâmpago na Amazon: R$ 19,90.

já comprei!!! E já me inscrevi na roda! Obrigada!

A Taba disse:

Olá, Isabella! Infelizmente, não temos esse livro em estoque. Por isso, estamos indicando a compra na Amazon, já que eles adquiriram todo o estoque da Cosac. O preço está bem bacana e acredite: no caso desse livro, vale cada centavo! 🙂 Um beijo e boa leitura! Depois, venha contar aqui suas impressões sobre o livro e inscreva-se para participar da roda. Vai ser um prazer ter a sua companhia proseando com a gente!

Vocês vendem o livro? Ou devo comprar pela Amazon?

%d blogueiros gostam disto: