Autores que amamos: Isabel Minhós Martins

Uma criança que gostaria de ser arqueóloga cresceu e fundou seu próprio planeta. Por mais que pareça fantasia, é um jeito de contar a história da autora portuguesa Isabel Minhós Martins.

Isabel sempre gostou muito de ouvir histórias e começou a se interessar pelas palavras quando ainda estava na escola e escrevia alguns textos, poemas e muitas cartas. Nessa época conheceu Madalena Matoso e Bernardo Carvalho.

Apesar de tudo indicar que deveria ir para a área das letras, estudou Design. De fato, ela diz que nunca foi muito afeita ao desenho, mas foi na faculdade que conheceu João Gomes de Abreu e logo os quatro amigos criaram uma agência de comunicação chamada Planeta Tangerina.

Quatro anos mais tarde, Isabel foi estudar edição de livros e escreveu “Um livro para todos os dias”, que recebeu ilustrações feitas por Bernardo. Depois disso, não pararam mais e há doze anos a Planeta Tangerina é uma referência nas publicações de livros infantis em Portugal.

A autora diz que tem muitos textos guardados, mas sempre se pergunta se vale a pena publicar mais um, já que existem tantos livros no mercado. De sua autoria, já foram são quase trinta, todos álbuns ilustrados, que além de Portugal estão na Espanha, França, Inglaterra, Itália, Brasil, Noruega e Coreia. “A riqueza do livro-álbum é existirem esses dois discursos, que às vezes dizem a mesma coisa, outras dizem coisas diferentes, mas são paralelos e sobrepõem-se e dialogam”, explicou em uma entrevista.

Quando cria um livro, tira as ideias de observações do mundo, não do que gostaria de ensinar ou acha que seria divertido. Ela acredita que não há temas para crianças ou adultos e compara a leitura com uma escada em que os leitores vão subindo e mudando suas escolhas e experiências.

Ganhadora de alguns dos mais importantes reconhecimentos da literatura infantil, como o Prêmio Hans Christian Andersen e a participação no catálogo White Ravens, Isabel ainda declara: “Para mim, escrever é como escavar: encontramos sempre alguma coisa, às vezes minhocas, às vezes água, pedras, raízes, túneis…um sapato perdido. Gosto de escrever porque quase sempre encontro coisas inesperadas. Gosto de ler pela mesma razão: alguém escavou, escavou, escavou e encontrou alguma coisa que veio mostrar através das palavras.”. O sonho de ser paleontóloga não foi esquecido, mas tomou outros caminhos – para nossa sorte!

 

Conheça os livros de Isabel Minhós Martins publicados no Brasil e conte pra gente quais são seus favoritos!

 

 

clique aqui para conferir nossa roda de leitura do livro “Para onde vamos quando desaparecemos”, feita quando Isabel Minhós Martins foi a autora escolhida no Desafio A Taba – 12 livros em 1 ano.

Foto: Isabel Minhós Martins em A melhor ideia de sempre