A magia dos contos de fadas

Talvez nenhum outro gênero literário esteja tão presente na formação do leitor iniciante como as histórias de tradição oral que chamamos de contos de fadas.
Comuns a todas as culturas, essas narrativas folclóricas revelam muito sobre os dilemas enfrentados pelos seres humanos e as soluções encontradas por eles para compreendê-los. Por isso, desde os tempos mais remotos, adultos e crianças do mundo inteiro têm se encantando e encontrado nelas uma válvula de escape para suas aflições. Nessas histórias, as grandes questões humanas aparecem de maneira simbólica e podem ser elaboradas por cada leitor, conforme suas estruturas internas.
Segundo o pediatra Dr. José Carlos Neves Machado “a criança já se encontra, naturalmente exposta à sociedade em que vive e enfrenta – cada uma do seu modo e graças aos recursos interiores que lhe são próprios – os conflitos que surgem à sua frente. A vida é desconcertante e complexa e, por isso, a criança precisa ter a possibilidade de fantasiar e aprender a lidar com esses desajustes. Nesse turbilhão de sentimentos ela se encontra, muitas vezes perdida, falta uma ordenação não moralista, mas moral, para colocar ordem na casa interna e os contos permitem isso. É com esse tipo de significado que trabalham os verdadeiros contos de fadas.” Para ele, essas histórias  “têm a riqueza de colocar os dilemas existenciais de uma forma breve e categórica, permitindo à criança aprender o problema em sua forma mais essencial, a narrativa dos contos simplifica todas as situações, por isso são tão especiais, principalmente quando contados na hora de dormir, com a criança em sua própria cama, tendo ao seu lado um bom narrador, preferencialmente o seu pai ou sua mãe, que se limita a ler ou contar a estória, sem se preocupar em imitar a voz dos personagens e nem em apresentar as figuras, deixando para a própria criança fantasiar isso à vontade”.
Ana Maria Machado em seu livro Como e por que ler os clássicos universais desde cedo afirma que o alto nível da qualidade artística dos contos de fadas e a sua força cultural são atestados pela sua universalidade e sua permanência. De acordo com a autora, essas histórias são manifestações artísticas e mexer em sua estrutura, criando versões politicamente corretas, moralizantes e didatizantes é subestimar a inteligência do leitor e sua capacidade para lidar com material tão rico e precioso. Por isso, ao apresentar esses textos a crianças e jovens, é preciso escolher boas adaptações, que demonstrem cuidado e respeito às histórias originais e que apresentem linguagem rica e elaborada. Assim, segundo Ana Maria Machado, os leitores poderão apreciar toda a beleza dos contos de fadas e apropriar-se do valioso “acervo de experiências emocionais, de contatos com vidas diferentes e de reiteração da confiança em si mesmo. No final, o pequenino se dá bem e o fraco vence. A criança pode ficar tranquila – com ela há de acontecer o mesmo. Um depois do outro, esses contos vão garantindo que o processo de amadurecimento existe, que é possível ter esperanças de dias melhores e confiar no futuro.”

Conheça a seguir algumas coletâneas incríveis desses contos recomendadas pela equipe da Taba. Todos estão à venda na Loja da Taba na Amazon. Clique sobre as capas e você será direcionado para a Amazon, caso tenha interesse em adquiri-los.

Boas leituras!

ContosDeFadas_Comentado

 

O livro Contos de fadas  (Zahar) é referência obrigatória para todos interessados em conhecer um pouco mais sobre o universo dessas narrativas de tradição oral .  A coletânea apresenta 26 contos em suas versões originais,  sem adaptações.
Enriquecidos por centenas de notas que ampliam o sentido de cada uma das histórias, o volume também é ilustrado por centenas de desenhos e pinturas raros, além de apresentar a biografia dos principais autores dos contos de fadas, seus compiladores e ilustradores e um apêndice com diferentes versões de alguns contos.

 

 

 

domesticos

Muita coisa chama atenção nessa edição dos contos dos irmãos Grimm (Cosac Naify). A cuidadosa edição em dois tomos traz 156 textos em versões originais, ou seja, tais como foram concebidas pelos dois escritores alemães no século XIX, quando recolheram da tradição oral essas histórias fantásticas que ora encantam, ora amedrontam, quando não as duas reações provocadas de uma só vez. O leitor de hoje, acostumado com versões mais adocicadas dos contos de fadas como “O príncipe sapo” ou “Cinderela”, tomará bons sustos ao se deparar com a crueldade exposta em “O rei sapo ou o Henrique de ferro” e “A Gata Borralheira”. O curioso título merece consideração, pois faz menção ao espaço onde geralmente eram transmitidas as histórias, e ao público alvo, crianças em formação que entram em contato com a engenhosa dinâmica dos vícios e virtudes do homem, o que nos deixa intrigados quanto a abordagem de temas tão duros, mas inevitáveis, e no entanto tão apropriada por aparecer transfigurada pelo maravilhoso e pelo poético.

 

Leitura em rede - Contos de Grimm

Mais do que emocionar e divertir, é importante não esquecer que os irmãos Grimm deram às histórias populares alemãs um sentido político, seja em oposição a Napoleão Bonaparte, seja com relação à pedagogia, o que significa a transmissão de uma ideologia voltada ao amor e à fraternidade. E isso não é uma lição que deve ser ensinada apenas às criança; estes textos têm muito a ensinar aos adultos nos onze contos que compõem este volume, ilustrado pela incrível Elzbieta Gaudasinska, cujo traço é singular. São eles: “O lobo e os sete cabritinhos”; “Os músicos de Bremen”; “Mesinha ponha-se, o asno de ouro e porrete-pule-do-saco”; “O pequeno polegar”; “Branca de Neve”; “A raposa e os gansos”; “O pobre e o rico”; “A boa sopa”; “A inteligente filha do camponês”; “A luz azul” e “A escolha de uma esposa”. Pela coleção, ideal para refletir sobre situações comuns ao mundo infantil e juvenil, o livro levou ainda o Título Altamente Recomendável, pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil — FNLIJ 1996, categoria tradução/criança.

 

CisneAndersen é consagrado na literatura infantojuvenil por sua imensa obra e pela riqueza de seus textos. Dentre os mais famosos estão A pequena Sereia, A princesa e a ervilha, A roupa nova do rei, entre outros. Neste livro (Companhia das Letrinhas) reúne 12 narrativas cativantes e extraordinariamente escritas. Sua primeira publicação “O soldadinho de chumbo” ganha destaque nesta edição, além do conto “O patinho feio”. Dizem que o dinamarquês se inspirou na própria vida para escrever esta história. Quando pequeno, Andersen era alto demais e um pouco desajeitado. Com ilustrações primorosas, Chris Ridell enriquece a obra misturando ora imagens em preto e branco, ora imagens muito coloridas.

 

 

Leitura em rede - Contos de Hans Christian AndersenEste grande livro azul (Paulinas)  é a primeira edição em língua portuguesa com os contos e novelas de Hans Christian Andersen (1805-1875) traduzidos do dinamarquês por Silva Duarte, tradutor português especialista em Andersen. Até então as histórias, tais como, “O traje novo do imperador”, “A Polegarzinha”, “O soldadinho de chumbo” e “O Patinho feio” eram traduzidas ou adaptadas de edições inglesas, francesas e alemãs. A importância dessa edição, além da fidelidade ao texto literário original, está em nos colocar em contato com a vasta obra de Andersen: são oitenta histórias – algumas delas completamente desconhecidas do público brasileiro, por exemplo, a comovente “A sereiazinha” e a engraçadíssima “As galochas da felicidade”. Ao final de cada conto, a pesquisadora Nelly Novaes Coelho comenta sobre os motivos das histórias, as tradições das quais Andersen as recolheu ou faz referência quando o texto é de sua autoria.
Leitura em rede - Contos de Perrault

Quem nunca ouviu um conto de fadas? Quem nunca se viu atemorizado por bruxas e lobos, ou sonhando com um príncipe encantado? Essas e outras personagens e temas que habitam o imaginário ocidental estão presentes em Contos de Perrault (Ática). Histórias que eram parte da cultura popular e que passaram de pai para filho, a cada geração, foram reunidas pelo escritor, membro da corte francesa do século XVII, ganhando assim os contornos literários que as histórias têm hoje.
Nesta edição, organizada e traduzida pela poeta carioca Fernanda Lopes de Almeida, a estrutura das histórias também segue os padrões de Perrault, com uma narrativa seguida de uma moral e forma de verso.
As ilustrações ficam por conta da premiada artista residente no Rio, Elisabeth Teixeira, que constrói em imagens o mundo da fantasia.

 

 

OutroraO francês Charles Perrault permanece como um dos maiores contadores de histórias de todos os tempos. O escritor recolheu da tradição oral contos bem conhecidos e tingiu-lhes com o requinte de sua escrita sem desprezar os ensinamentos que eles já carregavam, nem o entretenimento a que eles se propunham. Cada conto lida com os nossos medos, nossos desejos de superação, nossos ímpetos que, uma vez satisfeitos, podem acarretar consequências boas ou ruins.
Nessa coletânea, vamos encontrar, entre as histórias mais populares, “A Bela Adormecida no bosque”, “Barba Azul” e “O Gato de Botas”, mas temos raridades como “Riquete do topete”, que nos põe em contato com uma narrativa na qual as personagens se deixam levar pela superficialidade das aparências dos seres, até estabelecer como valor digno de ser apreciado numa criatura a sua essência virtuosa.
Nessa edição, temos ainda o prazer de visualizar os incríveis personagens e cenários imaginados por Perrault através das clássicas gravuras de Gustave Doré.
Volta

 

Volta ao mundo em 52 histórias (Companhia das Letrinhas)  é uma belíssima coletânea de contos de fadas tradicionais do mundo todo. A obra está dividida em 4 temas: encantamento (contos em que personagem ou objeto se transforma em algo por meio de um encantamento), trapos e plumas (contos com personagens pobres e que enriquecem da noite para o dia), heróis e heroínas (contos com personagens corajosos e perseverantes diante de um desafio) e o amor tudo vence (contos em que o amor prevalece). Com essa divisão, tem-se como objetivo mostrar ao leitor que temas semelhantes recorrem no mundo inteiro. As ilustrações de Nilesh, realistas e ricas em detalhes, preservam a magia, ao mesmo tempo em que dão um tom verossímil aos contos.

 

1378479_474137736033941_1443638828_nAs páginas de Meu primeiro livro de contos de fadas (Companhia das Letrinhas), ricamente ilustradas e coloridas por Julie Downing, ajudam o leitor a entrar no universo do mundo maravilhoso dos contos de fadas.
Histórias europeias tradicionais e amplamente conhecidas, como “Cinderela”, “Rapunzel”, “A Bela e a Fera”, mesclam-se a contos menos conhecidos do público brasileiro, como “A mulher do pescador” e “Diamantes e Sapos”.
Os recontos de Mary Hofmann não são de um único autor e, ao final, apresenta-se, além de uma pequena biografia de cada escritor, a respectiva autoria de cada texto.

 

 

 

LV152833_NLivro de Histórias (Companhia das Letrinhas) reúne oito contos de fadas, alguns bastante conhecidos, como “Chapeuzinho Vermelho” e “João e o pé de feijão”, e outros nem tanto, como “Os Duendes e o Sapateiro” e “Os Três Bodes da Montanha”. É uma belíssima obra para crianças que estão conhecendo os contos de fadas, pois o autor preservou os principais episódios da história original, além de escrever com uma linguagem simples e rica em detalhes. Vale atentar especialmente para o conto “Os três porquinhos”, pois trata-se de uma versão que não é comumente difundida. Nesta, o primeiro e o segundo porquinhos são comidos pelo lobo e o último, que é uma porquinha, prega várias peças neste animal malvado.

 

Que tal receber, em sua casa, livros como estes todos os meses?

Faça parte do Clube de Leitores A Taba!

output_pMiagz

avatar

escrito por

Denise Guilherme é Mestre em Educação, formadora de professores e consultora na área de projetos de leitura.
Desde cedo, apaixonada por palavras ditas e escritas. Descobriu nos livros um caminho para entender a si mesma e aos outros. E ficou tão encantada com o que viu que decidiu compartilhar com o mundo.

gostou? compartilhe!

comente pelo facebook
33 Comentários
  1. Kelly Abreu25 jun, 2017Responder
    • A Taba25 jun, 2017Responder
    • Kelly Abreu25 jun, 2017Responder
  2. A Taba18 jun, 2014Responder
  3. A Taba18 jun, 2014Responder
  4. A Taba18 jun, 2014Responder
  5. A Taba18 jun, 2014Responder

deixe seu comentário