A fada da torneira

A fada da torneira

Escrito por: Pierre Gripari

Ilustrado por: Cláudia Scatamacchia

Editora: WMF Martins Fontes

Resenha

Geralmente associamos as fadas, os magos, os duendes e outros seres fantásticos a épocas distantes ou realidades paralelas; assim, é excitante pensarmos na acolhida desses seres no mundo em que vivemos.

O escritor francês Pierre Gripari permite que vislumbremos essa fantasia por meio das suas histórias cheias de magia, como se elas pudessem acontecer tão próximo de nós, quem sabe até na rua em que moramos.

O conto que dá título ao livro é um exemplo disso. Nele, uma fada que há muito tempo habitava uma fonte de águas cristalinas é impelida, nos dias atuais, a percorrer os canos da cidade e, em contato com os moradores das casas dissemina seus encantamentos, despertando a ambição de alguns e levando o desespero a outros.

As histórias de Pierre Gripari assustam e divertem, além disso, a edição brasileira conta com uma especialista em figurar seres e mundos mágicos, a ilustradora Cláudia Scatamacchia.

A fada da torneira e outros contos foi o livro selecionado pelo Clube de Leitores A Taba para ser enviado aos leitores autônomos em agosto de 2017.

Confira como foi a leitura de nosso assinante Helder Guasti com seus alunos:

Pense numa leitura envolvente!

Eu AMO livro de contos, por tudo o que eles nos trazem de “diferente”.

A fada da torneira e outros contos é uma leitura deliciosa – especialmente se feita em voz alta! A começar pelo tamanho, que cabe na palma da mão (pelo menos da minha, que é gigantesca), e pelas ilustrações todas com traços delicados e pontilhados, um encanto.

Em relação aos contos, cada um é envolvente a sua maneira. Por aqui o favorito foi “Escubidu, a boneca que sabe tudo”. Rolaram MUITAS risadas, especialmente na parte em que o Sr. Said fica “doente”, clamando por bicicletas em todos os estabelecimentos comerciais. A boneca Escubidu, por si só, é uma maravilha! Completamente sagaz e capaz de “se virar nos trinta”, nos rendeu bons debates sobre esperteza e sagacidade (e comparações com a boneca Emília de Lobato).

O conto que dá título ao livro, “A fada da torneira”, nos deixou com sentimentos divididos. É um bom conto, não podemos negar, mas, tanto eu quanto Victor (aluno com que compartilhei a leitura) achamos que o desfecho poderia ser diferente, mas, depois de iniciar a leitura do segundo conto (Escubidu, a boneca que sabe tudo) compreendemos que o autor quis fazer um “ligamento” entre um conto e outro, por isso encerrou o conto da Fada da torneira da maneira que o fez. A tragicomédia envolvendo as duas irmãs, tão diferentes em personalidade, nos deixou ao mesmo tempo embasbacados e maravilhados, pois, os personagens “adultos” da história são TERRÍVEIS (e esse é um dos fatores que fazem o conto ser tão envolvente). Sério, ficamos com vontade de denunciar os pais de Maria e Martine ao Conselho Tutelar!

Os contos não são muito longos nem curtos, mas, do tamanho ideal para garantir um bom momento de leitura. O livro possui quatro contos, portanto, dividimos a leitura em dois contos por aula. Gostamos de fazer muitas observações e pontuações após nossas leituras – e com este livro não foi diferente. Debatemos desde a relação pra lá de estranha dos pais oportunistas com as meninas e até enumeramos e imaginamos diferentes desfechos para todos os contos.


*****

Nao usar_Clube de Leitores A Taba_boas experiencias de leitura aproximam adultos e criancas