http://i2.wp.com/ataba.com.br/wp-content/uploads/2016/08/11012988.jpg?w=1050

10 livros para celebrar a paternidade amorosa e responsável

Procurando sugestões de presente para dar aos pais que exercem uma paternidade amorosa e responsável?

Que tal aproveitar a oportunidade para oferecer livros infantis e juvenis de qualidade, criando momentos únicos de aproximação entre pais e filhos?

A Taba preparou uma lista com 10 títulos que abordam essa relação tão especial que, certamente, irão emocionar e divertir adultos e crianças.

Todos estão à venda na Livraria da Taba na Amazon. E os assinantes de nosso Clube de Leitores ainda têm 10 de desconto!

Mas_papai_ler9781599

Mas papai…

Mathieu Lavoie e  Marianne Dubuc – Editora Jujuba

Para quem tem filhos pequenos, a hora de dormir é uma grande aventura que envolve doses generosas de criatividade e paciência. Muitas vezes, as crianças relutam em se entregar ao sono, inventando mil motivos para manter a presença dos pais e prolongar o tempo acordados.

É esse o mote do livro Mas papai…: um pai cansado tenta colocar seus dois macaquinhos para dormir, sendo interrompido a todo momento pelos pedidos dos pequenos, até que…

Indicação: Leitores bebês

 

42889632

Eu grande, você pequenininho

Lilli L’Arronge – Companhia das Letrinhas

Nesse livro, a autora constrói uma série de jogos entre palavras e imagens, apresentando diferentes situações nas quais pai e filho interagem e demonstram seus sentimentos.

Ao longo das páginas, o leitor pode apreciar o texto rimado e sua relação com cada uma das ilustrações sensíveis e divertidas, que conferem ainda mais graça à obra.
Ao final da leitura, não será uma surpresa se pai e filho sentirem-se convidados à criar novas brincadeiras, construindo juntos sua própria versão do livro.

Indicação: Leitores bebês

 

3231570

Papai!

Philippe Corentin – Cosac Naify

O autor francês Philippe Corentin surpreende o leitor ao colocar numa mesma cama duas criaturas que, ao se darem conta da presença um do outro, ficam estancadas pelo terror de tal forma que só conseguem encarar a companhia que está ao lado como ameaça e gritar: “Papai!”.

A história é contada de forma original, cada metade do livro explora a perspectiva de um dos personagens, que no final das contas se espelham. Assim, o leitor percebe que o drama enfrentado por cada um dos personagens consiste num medo infundado, pois se dá em virtude da falta de conhecimento que nenhuma das criaturas se preocupa em preencher.

Indicação: Leitores bebês e iniciantes

 

 

Iniciantes

Meu pai é grande, é forte, mas…

Coralie Saudo e  Kris di Giacomo – Editora Girassol

Para os pequenos, os pais sempre parecerão grandes e fortes, capazes de feitos incríveis. No entanto, algumas vezes, os adultos podem agir como crianças e provocar uma grande confusão. É assim a brincadeira proposta por Coralie Saudo nesse livro.

Contemplando as diferentes situações comuns ao momento de dormir, a autora cria uma narrativa bem humorada que se torna ainda mais divertida com os desenhos de Kris Di Giácomo, que remetem ao traço infantil e ressaltam o jogo de contrários onde as crianças assumem o papel de adultos e vice-versa.

Indicação: Leitores iniciantes

 

11012988

Um papai sob medida

Davide Cali – Cosac Naify

A protagonista desse livro tem a mãe mais especial do mundo: alta, linda esperta e capaz de fazer coisas incríveis. Mas, para essa menina falta encontrar um pai que esteja à altura dessa mulher extraordinária.

 

Juntas, mãe e filha decidem publicar um anúncio no jornal e dar início a um rigoroso processo de seleção para escolher um companheiro sob medida para sua família.

De maneira divertida e sensível, Davide Cali narra com poesia a busca por afeto e reconhecimento entre as pessoas. As ilustrações de Anna-Laura Cantone acrescentam ainda mais humor à história, aproximando o leitor da visão de mundo da protagonista.

Indicação: Leitores autônomos

 

22119847

Olívia tem dois papais

Márcia Leite – Companhia das Letrinhas

O desenho do porta-retratos da família de Olívia, ilustrado por Taline Schubach e que abre o interessante livro de Márcia Leite, é a porta de entrada para a história da menina, que tem dois papais, como já explícito no título.
A menina Olívia tem imenso poder de usar as palavras para convencer a cada um dos papais – Luís e Raul – de tudo o que quer; basta dizer “entediada”, e papai Raul para o que estiver fazendo para brincar com a filha; com o papai Luís, a palavra de ordem é “desfalecer”. Colocadas entre aspas, essas – e outras palavras – fazem parte do vocabulário da menina e estarão presentes ao longo de toda a história, para demarcar os sentimentos de Olívia e sua relação com seus pais.
As ilustrações – que aparecem pontualmente no livro – deixam evidentes os assuntos adoção e filhos de casais do mesmo sexo de maneira delicada e cheia de cores vivas.
Os diálogos também estabelecem com o leitor um “jogo” franco, sem, no entanto, abrir mão da sutileza e da precisão na construção da história, características essenciais aos livros “encantadores”, como diria Olívia.

Indicação: Leitores autônomos

 

51l3IMM0DuL._SY498_BO1,204,203,200_

Papai e eu, às vezes

María Wernicke – Editora Callis

Às vezes, a relação entre pais e filhos é marcada por sentimentos confusos, traduzidos em silêncios que têm muito a dizer.

Nesse livro, uma menina narra o choque entre vontades nos momentos em que deseja a presença do pai e sua participação nas atividades que compartilham nos diferentes momentos da rotina.

As ilustrações de María Wernicke criam imagens que retratam ora a visão do pai, ora a visão da criança, preenchendo as páginas de poesia e beleza.

Indicação: Leitores iniciantes e autônomos

 

42273898

O dia em que troquei meu pai por dois peixinhos dourados

Neil Gaiman – Rocco Editora

Chama atenção o título inusitado do primeiro livro infantil de Neil Gaiman, publicado recentemente no Brasil.
É certo que crianças e muitos adultos também gostam de fazer trocas de seus pertences com amigos e conhecidos. Especialmente daqueles objetos que já não lhes servem mais ou pelos quais já perderam o interesse.
Mas, se você quisesse muito os dois peixinhos dourados do seu melhor amigo, você os trocaria por qualquer coisa, até mesmo seu pai?
Essa é a escolha que motiva a aventura vivida por dois irmãos que, depois de levar uma bronca de sua mãe, partem em busca de resgatar o pai, em uma sucessão de trocas entre objetos e seres, contada com humor e ironia por um dos grandes escritores da atualidade.

Indicação: Leitores autônomos e experientes

 

Papai Tatuado

Papai Tatuado

Daniel Nesquens – WMF Martins Fontes

Cada um dos 11 capítulos tem como abertura uma das tatuagens do pai.

O menino relembra algumas das histórias que o pai lhe contou quando estiveram juntos. Quase não percebemos que ele está recordando, pois é como se as histórias fossem contadas no presente pelo pai.

Se o pai é esta figura misteriosa e mágica na imaginação do menino, as demais personagens são também fascinantes: um tigre de dois rabos, o amigo Samsun sobrevivente a tantos infortúnios em seu trabalho com os animais, uma aranha gigante feita de pequenas aranhas etc.

As ilustrações chamam a atenção pelos traçados, pelas cores e por algumas figuras recorrentes e outras inusitadas, mas também porque a disposição das personagens, em alguns casos, são ligeiramente diferentes da história – permitindo-nos imaginar uma outra versão não narrada.

Vale a pena ainda prestar atenção num personagem curioso e observador que transita pelas ilustrações, mas que em momento algum aparece no texto.

Indicação: Leitores autônomos e experientes

 

Meu pai é um homem-pássaro

David Almond – WMF Martins Fontes

Não deve ser nada comum ter um querido pai que pensa que é um pássaro. Não mesmo… Por isso, a vida de Lizzie não é nada fácil.

Seu papai não pensa, ele tem certeza que pode voar. A casa deles tem ninhos, minhocas e muitas penas para fazer asas, enquanto parentes e vizinhos querem colocar ordem naquela bagunça toda que fica pior a cada dia. Pobre Lizzie!

Somente ela poderá ajudar seu querido pai. E, para piorar, vai haver um concurso de homens voadores. Oh, não!!!

David Almond estreia no Brasil com esta delicada e caprichada narrativa cheia de metáforas. Voar talvez não seja realmente sair do chão em direção ao céu.

Em um clima delicado de realismo mágico, o qual as crianças podem não entender literariamente, mas desfrutam com prazer e curiosidade, o tecido das aventuras desse papai desesperado e sua filhinha dedicada vai enlaçando os leitores de maneira inusitada, mas, ainda assim, bastante afetuosa e familiar.
Atenção, leitores: visitem de vez em quando as páginas 56 e 57!

Indicação: Leitores  experientes

Post originalmente publicado em 02 de agosto de 2016 e atualizado em 07 de agosto de 2017.

output_pMiagz

 




Participe da conversa!